barbados_23062016_3010

Quer saber qual foi o nosso roteiro de 9 dias em Barbados ? Então nesse post vou listar para você tudo o que fizemos e já adianto que o que não faltou foi opção de programação. Na verdade, ainda ficaram algumas pendências aí para uma próxima visita ao país afinal, só de praias são umas 60 para se conhecer!

 

1° Dia: Jantar no Oistins Fish Fry

Chegamos em Barbados numa tarde de sábado e já saímos do aeroporto na maior emoção: alugamos um carro em uma locadora no próprio aeroporto e como eu contei no post anterior, por lá eles dirigem na mão inglesa. Pensa numa emoção em chegar assim, se ambientando ao lugar e ao mesmo tempo fazendo seu cérebro administrar as informações inversas ao que ele aprendeu e está acostumado!

A emoção 2 foi encontrar a casa e também virou um dos tópicos de dicas do post anterior: com uma organização de espaço urbano bem diferente da que estamos acostumados por aqui, com casas mais para frente, outras mais para o fundo, algumas ruas sem sequência de números, foi meio complicado encontrar a casa que alugamos pelo Airbnb, mesmo com informações bem específicas sobre como chegar lá.

Depois de acomodados, decidimos seguir a dica que recebemos do rapaz que nos atendeu na locadora de carros e seguimos para o Oistins Fish Fry, um mercado de peixes localizado ao sul da ilha onde você encontra vários pequenos restaurantes que dividem o espaço com um palco, onde acontecem às sextas e sábados apresentações de dança e música.

Frequentado principalmente pelos locais, o ambiente é bem despojado e cheio daquela atmosfera acolhedora que reina em toda ilha. Escolhemos comer no Pat’s Place, onde fomos servidos por uma garçonete apressada mas super querida, a Stacy, que com seu atendimento tão bacana já nos fez entrar no clima de Barbados. Gostamos tanto que inclusive voltaríamos lá mais umas duas vezes durante nossa viagem…

Lá provei um peixe assado na grelha (ou no fogaréu como eu bem descrevi naquele momento) que estava delicioso, mas um pouco apimentado para o meu paladar de criança. Foi lá também onde tomamos nosso primeiro porre de Rum Punch, uma bebida que mistura suco de frutas com rum e que é típica de Barbados. Porque né ? Se estamos na terra do rum, dá-lhe rum na cabeça!

**Não encontrei o endereço exato na internet, mas colocando no GPS como Oinstins Fish Fry ou pedindo para algum motorista te levar até lá, você consegue chegar sem problemas.

barbados_18062016_0396-1

barbados_18062016_0422-1

barbados_18062016_0424

barbados_25062016_3671

2° Dia 19: Mergulho com snorkel / Brownie’s Beach

Nosso primeiro dia de fato em Barbados começou nublado e com garoa, o que fez a gente pensar que nosso primeiro passeio e o mais esperado, o mergulho de snorkel para ver as tartarugas, seria prejudicado. Graças a God estávamos enganados!

Fizemos nosso mergulho com o pessoal da Blue Barbados, que fica localizada dentro do complexo do hotel Hilton, e para esse mergulho de snorkel não é necessário nenhum curso ou experiência. Fora isso a parte boa: mesmo com esse tempo nublado e com garoa o mar continua de um azul transparente e brilhante, como se o dia estivesse ensolarado.

Para fazer esse mergulho você deve agendar previamente o dia e horário para que os grupos sejam montados junto aos instrutores da Blue Barbados e é aconselhável chegar com meia hora de antecedência, para que você possa colocar seu pé de pato, guardar suas coisas na tranquilidade e tirar alguma dúvida que tenha.

Depois de ter uma das experiências mais legais do mundo nadando com as tartaruguinhas lindas de meu Deus, de ver muitos peixinhos coloridos, navios naufragados e de eu passar mal (porque fico enjoada e esqueci de levar remédio), aproveitamos para ficar um pouco por lá, na Brownie’s Beach, que tem um mar muito, muito tranquilo, azul e transparente, tanto que você poder entrar até o pescoço e ver seus pés no fundo. Ou seja: nosso primeiro dia nesse paraíso não poderia ter começado de melhor forma.

Dica gastronômica do dia para quem assim como eu ama sorvetes: Depois de almoçarmos em uma espécie de galeria que fica razoavelmente próxima ao Blue Barbados, também experimentamos o sorvete do Chilly Moos Ice Cream Treatery, que uma delícia! Além dos sabores diferentes dos que estamos acostumados por aqui, o sorvete é bem grande e vem em uma casquinha mega crocante. Pura delícia gelada!

 

Dive Barbados Blue

Hilton Hotel, Needham’s Point, St Michael

Tel: 1-246-434-5764

e-mail:  info@divebarbadosblue.com

www.divebarbadosblue.com

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

3° Dia 20: Cocktail Tour na Mount Gay Rum / Brownie’s Beach 

No nosso terceiro dia fizemos um passeio que realmente superou minhas expectativas: o Cocktail Tour na destilaria Mount Gay Rum, a destilaria de rum mais antiga do mundo em atividade.

Assim que chegamos fizemos uma parada no bar da destilaria, onde bartenders preparavam diversos drinks à base de rum. Cada um de nós escolheu um drink diferente e olha, vou te dizer que estava um mais sensacional que o outro! Melhor drink da vida!

Durante nosso tour conhecemos não só a história da bebida e da destilaria mas também pudemos conhecer cada um dos tipos de rum produzidos por eles, saber a diferença entre um e outro e para quais drinks cada um deles era mais indicado, tudo isso apresentado por uma guia super simpática.

No final do tour encontramos na área do restaurante mesas cheias de bebidas, frutas e demais utensílios e ingredientes para prepararmos drinks, tudo à nossa disposição, pois o encerramento é feito com nada menos do que com uma competição para ver qual grupo faz o melhor drink. Além de ter sido uma finalização super divertida para esse passeio, no final todos ganham uma mini garrafinha de rum – e se você for da equipe campeã, pode ganhar uma garrafinha maior.

Não sei se consigo dizer exatamente onde foi que eles me ganharam, mas só sei dizer que saí de lá achando que o Mount Gay era a bebida mais legal do mundo para se beber!

Almoçamos por lá mesmo, no restaurante da destilaria, e depois fomos para onde? Para praia! Qual praia? Para Brownie’s Beach, conhecer uma parte dela que não tínhamos conhecido no dia anterior. Brownie’s Beach, melhor pessoa! <3

 

Mount Gay Rum Destilary

Exmouth Gap, Brandons, Spring Garden Highway, St. Michael

www.mountgayrum.com

barbados_20062016_1467

barbados_20062016_1508

IMG_4540

barbados_20062016_1665

4° Dia 21: Mergulho com cilindro / Praia do Hilton / Pôr do sol em Mullins Beach / Tiki Bar

O quarto dia foi quando os meninos fizeram mergulho com cilindro com o pessoal do Blue Barbados. Para esse tipo de mergulho é necessário fazer uma espécie de treinamento antes, que te dá um certificado que poderá ser usado nas próximas vezes que você for mergulhar, fazendo com que esse treinamento não seja mais necessário.

Eu, que tenho claustrofobia, tenho déficit de atenção e tenho um inglês onde entendo as coisas em um contexto geral, achei melhor pular essa parte. Confesso que, como as instruções do treinamento seriam passadas todas em inglês, fiquei com medo de não entender aquela palavrinha importante que me faria a diferença na hora do mergulho, sabe?

Já os meninos deram uma lida no material que nos foi entregue no dia anterior ao mergulho, com instruções e informações necessárias e já chegaram lá se sentindo mais “preparados” para esse treinamento.

Disseram que foi lindo, disseram que amaram, disseram que foi o passeio da vida. Já eu e minha amiga que ficamos relaxando e fofocando nas esteiras da praia privada do Hilton, dissemos que os drinks estavam ótimos e que poderíamos ficar lá pelo resto da vida. Sério, poderíamos mesmo. De verdade.

Nessa praia privada do Hilton o mar é bem mais agitado, com uma correnteza forte e ondas idem. Para quem não estiver hospedado no hotel mas quiser aproveitar a sua infra estrutura, me disseram que era possível comprar uma espécie de “convite” para passar o dia por lá. Nós não usamos a estrutura do local, só ficamos na praia consumindo coisas do bar (consumo esse que é pago na hora), então não consigo dizer com certeza como funciona esse “convite”, mas para quem se interessou, vale dar uma pesquisada nessa opção.

Saindo de lá fomos para a Mullins Beach, mais uma praia linda e de mar tranquilo, onde pudemos ver um pôr do sol cheio de cores, que eram refletidas na água de uma forma quase poética.

Depois de um pôr do sol lindo em um lugar paradisíaco o que a gente faz? Vai conhecer um bar e novos drinks à base de rum, claro!

Fomos conhecer o Tiki Bar, um bar e restaurante à beira da praia que tem um ambiente bem gostoso para passar um final de tarde comendo alguma coisa e tomando bons drinks.

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

barbados_21062016_2313

DCIM100GOPRO

5° dia 22: Sam Lord’s Castle / Long Bay / Crane Beach / Bathsheba / Bar Mojo

No quinto dia foi a vez de um encantamento sem tamanho: fomos conhecer as ruínas de Sam Lord’s Castle, um resort abandonado localizado na região de St. Philip.

Quem me conhece sabe o quanto sou fascinada por lugares abandonados e por toda história e energia que ficam impregnadas nesses locais. Agora imagina o que foi para mim encontrar um lugar cheio dessa vibe e que ao fundo, ostentava o mar mais azul, brilhante e lindo que já vi em toda minha vida. Sério, morri e fui para o céu 3 vezes!

Originalmente o local era o castelo de um famoso pirata que pendurava lanternas no alto das árvores, para que os navios achassem que aquele era o porto da capital Bridgetown. Quando se aproximavam, acabavam batendo nos corais próximos à praia e eram saqueados por esse pirata. Depois disso a propriedade se tornou um resort e há alguns anos foi destruída por um incêndio.

Localizada em uma das 3 praias que compõe a área chamada de Long Bay, a propriedade é enorme e cheia de construções: o prédio principal, a área da piscina, prédios laterais… Caminhando para os fundos dessa propriedade nos deparamos com uma espécie de mirante, de onde pude admirar o que veio a se tornar o meu pedacinho de mar preferido no mundo. Não sei se foi toda a atmosfera do lugar, se foi aquele azul quase fluorescente, se foram aquelas areias desertas, se foi encontrar um senhor já idoso que nos disse que se sentava naquele mirante todos os dias para observar o mar, com a serenidade no olhar de quem sabe que tem toda aquela preciosidade ali, à sua disposição, mas aquele se tornou um dos meus pedaços de mundo preferidos. Mágico define!

Mas ouvimos de um morador que um grupo havia comprado a área e que o resort seria reconstruído em uns 3 anos (#chatiada). Então se você quer conhecer as ruínas de Sam Lord’s Castle, por via das dúvidas, não perca tempo e vá o quanto antes!

barbados_22062016_2471

barbados_22062016_2470

barbados_22062016_2462

barbados_22062016_2389

barbados_22062016_2515

barbados_22062016_2475

barbados_22062016_2408

barbados_22062016_2407

Depois dessa experiência inesquecível que foi conhecer Sam Lord’s Castle e aproveitar um pouco do mar dessa praia de Long Bay, que apesar de ter uma correnteza forte é possível ficar em alguns lugares mais rasos, fomos fazer um tour para conhecer algumas praias que ainda não havíamos visitado e começamos com a Crane Beach, que também fica na região de Saint Philip.

Crane Beach é considerada uma das praias mais bonitas de Barbados, e realmente é incrível com suas areias claras e penhascos altos, mas o mar cheio de ondas e correnteza não ganhou meu coração. É um lugar lindo, com um resort de luxo no alto desse paredão de pedra, mas para mim aquele mar calminho, parecendo uma piscina da Brownie’s Beach era mais sucesso. Nessa praia pela primeira vez encontramos pessoas alugando cadeiras e guarda sol, além de ter alguém oferecendo bebidas também.

barbados_22062016_2551

barbados_22062016_2555

Fechamos o dia com uma visita à Bathsheba, uma praia linda para se admirar, com casinhas coloridas que são uma graça e pedras imensas que parecem terem sido colocadas lá por algum decorador, mas que não achei legal para entrar na água, por conta do mar de correnteza forte e também pela quantidade de pedras. Mas vale a visita? Vale, claro que vale! Não encontramos nada em Barbados que não vale uma visita!

À noite queríamos conhecer algum bar local, queríamos dançar Soca** até o chão, mas não tivemos êxito na nossa busca por esse lugar. Acabamos em um bar chamado Mojo, frequentado principalmente por locais (na verdade acho que só vi mais um ou dois turistas além de nós por lá), que era legal mas pedir as bebidas no balcão era um processo meio demorado. Isso fora o fato de que chegamos por volta das 21hs e o bar já estava em clima de últimos clientes da noite, sabe? Mas achei legal, voltaria lá um pouco mais cedo, para poder formar uma opinião mais embasada do local.

**Lê-se Sôca – um ritmo cheio de uma levada meio caribenha, que você não consegue ficar sem rebolar quando escuta, uma coisa louca!

barbados_22062016_2806

barbados_22062016_2813

barbados_22062016_2578

barbados_22062016_2749

barbados_22062016_2703

barbados_22062016_2652

6° Dia 23: Animal Flower Cave / Miami Beach 

Se quando estive em Praga me senti em um conto de fadas da Disney, quando chegamos à Animal Flower Cave posso dizer que me senti no filme Piratas do Caribe, vendo do alto de um penhasco o mar batendo com força nas pedras ou quando esse mesmo mar aparecia entre as aberturas da caverna em que estávamos.

Localizada na região de St. Lucy, na área mais ao norte da ilha, a Animal Flower Cave é uma caverna aberta à visitação que tem uma formação rochosa linda e onde se pode nadar em uma pequena piscina que se forma dentro dela quando o mar invade através das aberturas nas pedras.

Essa visita é guiada e tem um tempo de duração determinado, já que é preciso que um grupo saia para que outro possa entrar.

Fora a visita à caverna de fato, você terá uma vista incrível do alto do penhasco no qual está localizada a entrada da caverna e a estrutura de restaurante e loja de souvenir do local. E te digo: é uma vista de cair o queixo, daquelas que se pode ficar observando e pensando na vida por horas, perdendo a noção de tempo.

De lá seguimos para Miami Beach, mais uma das praias de mar tranquilo e águas claras de Barbados, bem do tipo de praia que adorei em Barbados, por parecerem uma piscina.

barbados_23062016_2828

barbados_23062016_2842

barbados_23062016_2843

barbados_23062016_2997

barbados_23062016_2850

barbados_23062016_2983

barbados_23062016_2935

7° Dia 24: Stand Up Paddle em Batts Rock Beach / Balada Harbour Lights

No sétimo dia fomos fazer uma coisa que adoro, andar de stand up paddle com o Ryan, da What’SUP, que tem um diferencial que achei super legal: não tivemos que ir até o local onde alugaríamos as pranchas e teríamos aulas, o Ryan é que foi até nós. É só combinar o dia, o horário e escolher uma praia – que ele vai te dizer se é propícia para o stand up ou não, claro – e esperar ele chegar. Pronto, muito simples, muito cômodo e muito fácil.

Nós estávamos em uma das praias de mar tranquilo onde é possível fazer o stand up, a Batts Rock Beach e antes de entrarmos no mar o Ryan nos deu algumas instruções, como não nos afastarmos muito dos locais indicados por ele para não pegar uma corrente que nos levasse para muito longe da praia, pois seria difícil voltarmos e outras dicas do tipo.

Sempre sob a supervisão do Ryan, que nos dava espaço suficiente para praticarmos o stand up bem na paz, mas sempre atento à todos do grupo, nos lembrando de não nos afastarmos demais e nos guiando pelo mar até a próxima praia, onde seria nosso ponto de retorno. E além da supervisão, o Ryan tinha também aquela coisa barbadiana de ser mega gentil, nos dando dicas sobre bares, sobre onde comer, praias, conversamos sobre o turismo na ilha… Enfim, além de supervisão no stand up de quebra ganhamos várias dicas legais sobre Barbados e também uma aula de gentileza e simpatia.

Nunca tinha praticado stand up no mar, só em rio, e adorei a experiência, uma sensação de liberdade sem igual! Tanto que em determinado momento virei em direção à alto mar e dei de cara com o sol já baixando no céu e…. Fiquei congelada! Estava conversando normalmente, olhando para a praia e de repente, quando me vi de frente para toda aquela imensidão de mar e céu, parei de falar na hora e fiquei só observando, literalmente sem palavras. Não conseguia dizer nada nem sair daquela posição, só tinha vontade de ficar ali, contemplando aquela coisa linda toda para sempre!

Eu que amo fazer qualquer tipo de atividade física ou esportes (até os que não sei praticar, eu tento com empenho e adoro), amei a programação desse dia. Já a Sabrina, minha amiga e esposa do fotógrafo das fotos lindas que ilustram esse post, quase morreu de cansaço. Ou seja: stand up parece um esporte tranquilo, calmo, onde não se faz muito esforço mas não é, é necessário preparo físico e também gostar desse tipo de atividade.

Para a programação noturna, ainda morrendo de vontade de dançar até o chão, fomos para uma balada que nos indicaram como sendo frequentada por quase todos os turistas, a Harbour Lights. Não era o que a gente estava buscando, queríamos uma balada frequentada pelos locais, mas…. Era só dar um rum punch pra gente e a diversão era certa!

Harbour Lights era exatamente como eu imaginava: cheia de turistas de vários lugares, pistas com músicas internacionais que eram mescladas com algumas com uma levada mais caribenha de vez em quando e a casa estava até que bem cheia. Valeu pela diversão!

 

WhatSUP Barbados – Ryan Rodriguez

Tel: (246)243-7878

e-mail: ryan@surfsupbarbados.com

surfsupbarbados.com

barbados_24062016_3030

barbados_24062016_3060

DCIM100GOPRO

8° Dia: Caminhada por Bridgetown /  Hunte’s Gardens 

No nosso último dia na ilha começamos fazendo um pequeno passeio a pé pelo centro da ilha, Bridgetown, onde pudemos comprar alguns souveniers, como um chocolate delicioso com recheio de rum vendido em uma pequena fabrica, a Agapey Chocolates. A fábrica é bem pequena mesmo, não tem nada além do balcão e da geladeira onde ficam os chocolates mas olha… Que chocolate delícia! Me arrependi muito de não ter comprado um de cada!

Depois disso partimos em direção a Harrison’s Cave, uma caverna que tem formações rochosas impressionantes, e onde se pode fazer o passeio a pé ou em um carrinho. Esses tours são feitos em dias e horários específicos e quando chegamos lá descobrimos que o passeio que achamos que teria naquele dia já tinha acontecido horas antes.

Acabamos partindo rumo à uma segunda opção de programa que tínhamos, o Hunte’s Gardens, aproveitando que já estávamos lá perto. E que grata surpresa! Daquelas que te fazem pensar “ainda bem que o plano inicial não deu certo!”.

O Hunte’s Garden é um jardim particular aberto a visitação que é uma coisa linda de se ver. Super bem cuidado e com uma variedade de plantas incrível, é um espaço que te faz sentir como se você estivesse em um pedaço de paraíso, com toda aquela beleza visual e ouvindo o som dos pássaros e da música clássica ambiente, que completam o cenário de relaxamento total.

Como se não bastasse tudo isso, fomos recebidos pelo proprietário daquele pedaço de paraíso, o sr. Antony Hunte, e tivemos uma conversa tão legal com ele, que no momento em que estávamos sentados no seu sofá conversando, pensei no tamanho da sorte que a gente tinha em estar ali, ouvindo dicas sobre a ilha, dividindo com ele as suas histórias e o seu rum. Me senti visitando aquele membro mais velho da família que tem um monte de coisa para contar, sabe ? Uma sensação ótima, só good vibes naquele lugar!

 

Hunte’s Gardens

Castle Grant, St. Joseph

e-mail:  huntesgardens@gmail.com

www.huntesgardensbarbados.com

barbados_25062016_3531

barbados_25062016_3600

barbados_25062016_3636

9° Dia 25: Nascer do sol em Bottom Bay

No último dia de fato, o dia em que embarcaríamos de volta para o Brasil, fomos conhecer o que nos foi apresentado como sendo o nascer do sol mais bonito da ilha: o amanhecer na praia de Bottom Bay.

Essa dica nos foi dada por um morador local que estava admirando o mar no mirante de Sam Lord’s Castle e também pelo proprietário do Hunte’s Gardens, então decidimos que teríamos que comprovar isso antes da nossa partida. E adivinha? Foi fechar com chave de ouro nossa passagem por Barbados!

A praia estava deserta e como chegamos antes do sol nascer, ainda estava escuro quando nos acomodamos na areia, olhando para o horizonte e começamos a conversar sobre o quanto aquela viagem tinha sido sensacional.

O sol começava a nascer mas ainda não estava muito claro, e de repente começamos a ouvir um som vindo da vegetação que estava meio que perto de nós. Momento de medo, daqueles que você fica alguns segundos pensando no que pode ser. Eis que dessa vegetação surge uma tartaruga enorme, andando em direção ao mar com a maior calma do mundo e aquele ar blasè de quem não estava nem aí para a gente. Bocas abertas e todos sem palavras com aquela cena.

Foi um misto de emoções ver aquele animal ali, no seu habitat natural, sem ter sido chamado com comida nem nada, só lá vivendo de boas, nem aí para aqueles quatro seres humanos que estavam sentados e completamente abestados com aquela cena linda e inesperada. De novo e mais do que nunca, Barbados nos deixando sem palavras!

barbados_26062016_3698

barbados_26062016_3703

barbados_26062016_3707

E assim se encerrou a viagem mais inesquecível da minha vida, minha viagem à Barbados, esse lugar pelo qual é perceptível meu nível de paixão, já que não consigo falar sobre essa viagem sem me derreter inteira!

 

Para ajudar a montar seu roteiro:

Para facilitar sua vida quando você for montar seu roteiro, segue aqui em baixo um mapa de Barbados dividido por regiões, para você saber o que fica mais perto e o que fica mais longe, separando assim sua programação diária de acordo com a proximidade do que você quiser visitar.

E para te ajudar a escolher quais praias visitar, lembre-se de que as praias do lado do Oceano Atlântico tem águas mais escuras, com correnteza e ondas mais fortes então são melhores para esportes como surfe. Já as que estão do lado do Mar do Caribe tem águas mais transparentes e calmas.

Mais uma dica: A maioria das praias que visitamos ou eram praticamente desertas ou eram desertas de fato, sem aquela estrutura de “quiosques” que estamos acostumados nas praias aqui do Brasil. Então vale a pena você levar uma bolsinha térmica com umas garrafinhas de água por exemplo.

Mas por favor, sempre lembrando que o lixo que a gente produz a gente traz de volta ! =)

barbados_21062016_2334

IMG_4539

Quer ver mais um pouco de como foram esses dias que passamos por lá? Então dá uma olhada nos nossos vídeos, os primeiros do que fizemos aqui no blog!

Ah, e já se inscreve no nosso canal do Youtube, porque esses foram os primeiros de muitos outros que virão, viu ?! 😉

 

Vida dura, né? Pois é, #IssoéBarbados <3

Todas as fotos lindas desse post e os vídeos são do Ricardo Jayme .

 

Essa viagem contou com o apoio da GVA – Global Vision Access, Visite Barbados e de alguns serviços no destino. As opiniões e comentários descritos aqui são independentes e baseados na experiência que tivemos. 

Autor

Juliana Rosa é apaixonada por viagens, esportes, arte, música e criatividade em geral e conta aqui no blog um pouco das suas andanças.

1 Comment

  1. Olá, sei que não é assunto do posto, mas queria fazer uma pergunta. Cheguei ao site através dos posts sobre Capitólio. Estou me programando para ir lá, mas estou um pouco receosa, pois tenho fobia de anfíbios. Muito desespero mesmo, entro em pânico só de vê-los. Tem muitos em Capitólio durante o dia? Muito obrigada, e parabéns pelo site

Deixe uma resposta