Há uns dois finais de semana atrás eu, meu namo e um amigo fomos dar uma olhada na 30ª Bienal de Artes em São Paulo, no Parque do Ibirapuera – Pavilhão da Bienal. Com o título A iminência das poéticas, a mostra começou no dia 07/09 e vai até 09/12, com entrada gratuíta.

 

Devo admitir que, apesar de gostar de diferentes vertentes de arte, de arte renascentista à arte urbana, não sou suuper fã de arte moderna. Mas também devo admitir que gostei bastante de algumas obras que vi na Bienal ! Algumas realmente me fizeram ter a certeza de que esse não é meu movimento artístico preferido, mas outras me surpreenderam de forma muito positiva ! Fora as que gostei “visualmente” falando, outras que mexem com outros sentidos além da visão me marcaram bastante, como a instalação sonora de um artista chamado Paulo Vivacqua em que você ouvia os sons das coisas. Até aí tudo bem, mas que som tem um banco por exemplo ?? Era muito legal ouvir os sons feitos para representar coisas que não emitem sons, adorei essa obra ! Outra instalação que adorei foi a Distorção Imperical, de um artista chamado Marco Fusinato, que nos deu o maior susto ! Entre, bata palmas e você vai me entender ! kkkk

 

Bom, então fica a dica de uma ótima opção de  passeio para quem é de São Paulo ou está passando pela cidade no período da mostra ! Só um aviso: vá preparado para andar bastante, pois a mostra é gigante mesmo ! Passamos a tarde toda lá (chegamos umas 13:30hs e saímos umas 19 hs) e só vimos metade das obras, temos que voltar para ver metade do segundo andar e para ver o terceiro andar também, que ouvi dizer que é o que está mais legal !

 

 

 

 

Autor

Juliana Rosa é apaixonada por viagens, esportes, arte, música e criatividade em geral e conta aqui no blog um pouco das suas andanças.

Deixe uma resposta