Mês passado fui com meu namorado e uns amigos ao Festival de Inverno de Paranapiacaba, um distrito de Santo André, aqui do lado de São Paulo.

A cidade foi fundada por ingleses em 1860 durante a construção da ferrovia São Paulo Railway, e foi feita lá até uma réplica (bem miniatura ! rs) do Big Ben. A casa do engenheiro ficava no alto, de onde ele podia ver tudo o que estava acontecendo e dizem que é daí que vem a expressão “para inglês ver”. Vai saber, né ? Rs..

 

Adoro roteiros históricos, e achei que encontraria lá um lindo lugar cheio de história e beleza, mas a impressão que fiquei do lugar foi a de abandono e falta de preparo para receber turistas. Foi lá que comi a pior comida da minha vida, bebi o pior choconhaque e fui mais mal atendida. Mas por favor, não pense que as pessoas lá fazem isso de propósito ! O que senti é que é pura falta de parâmetros, de preparo mesmo, sabe ?

E fiquei com tanta dó em ver o estado de abandono desse lugar que é a história em forma de “cidade” ! Toda hora me vinha em mente o quão legal e bonito aquele lugar poderia ser se fosse conservado e com mais atrativos aos turistas… O Danilo ainda falou que gosta de ver a ação do tempo agindo nas coisas, como os trens que estavam se decompondo, mas eu gosto de ver tudo restaurado, tudo vivo, pulsando !

A casa do engenheiro está bem conservada e virou um museu, mas não conseguimos ver porque já estava fechada quando chegamos. Mas pelo que vi nas janelas não tinha muita coisa interessante lá dentro para ver…

 

Na volta, à noite, fiquei também com uma impressão meio ruim de ver muitas casas abandonadas… Não sei, de repente não é o tipo de turismo que eu goste de fazer, afinal nem de Campos do Jordão eu gosto, porque acho que a única coisa que se tem para fazer lá é aproveitar os hotéis e comer. Ou seja, se você não estiver com grana para ficar em um hotel legal, a única coisa que se tem para fazer é comer ! kkkkkk

 

Não sei se eu que não explorei direito a cidade, e aquele lugar cheio de encantos que falaram estava em algum canto que eu não vi…. rs

Quem sabe um dia ainda volto lá para tirar essa má impressão que fiquei do lugar… quem sabe um dia, por enquanto, não.

 

 

Lá no alto, a casa do engenheiro

E a réplica do Big Ben

Autor

Juliana Rosa é apaixonada por viagens, esportes, arte, música e criatividade em geral e conta aqui no blog um pouco das suas andanças.

3 Comments

  1. Olá! Tb conheço Paranapiacaba! Achei muito bonita a percepção do Danilo de ver a ação do tempo sobre as coisas, mas tb concordo que poderiam investir mais lá … ter mais restaurantes atrativos, abrir mais casas para visitação, enfim… Fazer o novo e o velho viverem juntos e chamar mais atenção dos “turistas” para esse lugar que é muito bonito. No entardecer tem a invasão da neblima, que deixa o lugar ainda mais interessante e misterioso.

  2. Me lembro de visitar, se eu não me engano, a casa principal, e sentir uma sensação inexplicável, quando entrava nos comodos (pois estava tudo incrivelmente intacto). Como se fosse uma viagem no tempo…Bom é uma viagem que vale a pena, que dá para fazer em qualquer final de semana, principalmente por esta reliquia estar do lado de SP!!! Bjos Ju

  3. É, acho que foi isso que senti falta, de ter mais atrativos na cidade, tipo a harmonização do novo e do antigo… Sobre a casa principal, não consegui ver, ficou faltando isso na minha visita ! mas é como vc disse Ana Lia, é pertinho de São Paulo, então dá pra dar ir conferir e ver por si mesmo o que acha do local.. 😉
    Obrigada pela visita !

Deixe uma resposta