trabalho em navioA maior recompensa da Vi durante seu período de trabalho em cruzeiros, conhecer o mundo !

 

Para o post de hoje pedi para que minha amiga querida Viviane, que trabalhou por anos em cruzeiros da Costa, respondesse à algumas perguntinhas sobre esse tipo de trabalho.

Afinal, qual pessoa que ama viajar nunca pensou em ir trabalhar em um cruzeiro e estar cada dia em um porto diferente ?

Dá uma olhada !

1. Qual o primeiro passo para quem quer trabalhar em cruzeiros ?

O primeiro passo é querer muito, pois não é simples e fácil como parece. Você deve procurar alguma agência segura que faça a ponte, ou se inscrever diretamente no site das empresas, o que dificulta um pouco, visto que as agências aqui no Brasil já fazem a triagem, uma pré seleção dos candidatos.

2. O que é necessário para se candidatar à uma vaga ?

Escolher em qual setor deseja atuar e falar inglês ao menos o básico é importante. Você tem também que fazer alguns cursos de segurança marítima, oferecidos no RJ e SP (Santos), se chama STCW, e dependendo da função, precisa de formação na área. Não precisa ter experiência, mas se tiver, melhor.

3. Existe alguma restrição ?

Sim, você tem que estar com a saúde muito em dia, pois levará a bordo uma bateria de exames, e não pode conter doenças infecto contagiosas como Tuberculose ou Hepatite ou ser HIV positivo.

4. Para que tipo de pessoas esse trabalho é indicado ? E para quem não é ?

Isso depende muito da função, mas é característica de quem trabalha a bordo ser livre de preconceitos de todos os tipos, pois é uma cidade flutuante e muito democrática no sentido de nacionalidades, credos, religiões, estilos, sexualidade, entre outros e assim uma pessoa muito preconceituosa encontraria dificuldades. Eu indicaria para quem deseja ampliar horizontes, ver o mundo à partir do próprio entendimento, da tua lente particular. Antes de ter essa experiência, eu via muito aquilo que os outros tinham a dizer sobre os lugares, as pessoas, e o mundo, e por não conhecer eu assimilava essa como a verdade. Após viver embarcada, pude ter a minha versão do mundo, o que deixou ele ainda mais interessante, mas algumas pessoas muito menos instigantes, a dualidade que esse trabalho traz.

5. Quais os tipos de vagas disponíveis ?

São diversas vagas do ramo da hospitalidade, vou citar algumas: entretenimento, lazer e recreação (meu setor), bar e restaurante, recepção, camareira, salão de beleza, fotógrafo, vendedor de loja, vendedor de pacote turístico, almoxarifado, engenheiro, médicos e enfermeiros

 

trabalho em navioA cabine que foi o quarto da Vi durante seu trabalho em cruzeiros

 

6. Quais os pontos positivos e negativos da sua experiência lá ?

São muitos ! Eu destacaria como positivo a experiência em si, de viajar, conhecer lugares e pessoas e ter uma experiência internacional no currículo. O lado negativo: é muito difícil ficar longe dos amigos, das pessoas que você ama e principalmente da sua família. O ponto mais difícil é voltar a ter uma vida “normal”, desembarcado. É um relato de todos que já viveram essa experiência, pois a vida de bordo não tem rotina, cada dia um porto, um país, uma língua, novas pessoas, novos colegas de trabalho, gente chegando e saindo o tempo todo, muito movimento, dormimos em movimento… Já nosso cotidiano em terra é muito mais rotineiro.

7. Qual é o balanço que você faz dessa sua experiência ? Valeu a pena, foi o que você esperava ?

Essa experiência certamente mudou a minha vida, pois me mudou, me tornou mais forte e independente, menos medrosa, pois o desconhecido não é incomum. Conheci pessoas fantásticas, vivi momentos únicos, lugares espetaculares, é claro que valeu a pena! Mas vale ressaltar o momento de vida em que eu estava, tinha acabado de concluir um MBA, minha formação é na area de Turismo, então foi muito ao encontro das minhas expectativas profissionais, mas em relação ao lado pessoal, superou!

 

trabalho em navioA Vi e o horizonte que a esperava todos os dias !

Autor

Juliana Rosa é apaixonada por viagens, esportes, arte, música e criatividade em geral e conta aqui no blog um pouco das suas andanças.

Deixe uma resposta