barbados_21062016_2290

Leu nosso post anterior e quer dicas de Barbados para conhecer o país ou saber um pouquinho mais sobre ele antes da sua viagem? Então esse post é para você!

Barbados é uma ilha localizada na América Central, começou a ser “frequentada” por navios espanhóis e portugueses por volta de 1.511, mas só depois de mais de 120 anos o primeiro navio britânico chegou ao local e tomou posse dele, fazendo do país uma colônia britânica até o ano de 1966, quando foi declarada sua independência.

Com o terceiro melhor Índice de Desenvolvimento Humano das Américas e segundo no nível de Transparência Internacional do Índice de Percepção de Corrupção, a ilha de aproximadamente 300 mil habitantes tem cerca de 431 km² (menor do que o estado da Bahia), tem por volta de 98% da sua população alfabetizada e um índice de criminalidade que chega perto de zero.

Os vestígios da colonização britânica são percebidas em vários aspectos e a primeira coisa a nos chamar a atenção quando chegamos foi o fato de que os barbadianos dirigem na mão inglesa, do lado oposto ao que estamos acostumados por aqui. Mas fora isso, uma das coisas que também me chamou bastante a atenção foi o que, assim como nos deparamos com meninos jogando futebol em cada espaço por aqui, em Barbados vimos a garotada jogando críquete em vários locais diferentes, de escolas à campos abertos.

Por lá você vai ouvir muito a palavra Bajan, que originalmente era uma palavra que definia a linguagem informal falada pela população local, que misturava o inglês com o creole,  mas hoje essa palavra é usada para definir todas as coisas e costumes que envolvem o estilo de vida desse povo. Ou seja, é como se a palavra Barbadian (Barbadiano) definisse simplesmente “pessoas ou coisas de Barbados“, e Bajan definisse toda sua cultura local.

barbados_22062016_2515

Outras curiosidades que talvez nem todos saibam é que Barbados é a terra natal da cantora Rihanna que é Embaixadora Honorária da Juventude e da Cultura do país, além de ter um feriado nacional em sua homenagem, o Rihanna’s Day, comemorado em 20 de fevereiro. E assim como nós eles também tem o carnaval como uma das principais festas culturais do país, que é festejado em 02 de agosto (só digo que queria muito estar lá nessas datas).

Está com uma vontade cada vez maior de conhecer o país? Então agora as dicas práticas para quem quer conhecer esse lugar maravilhoso:

 

Documentação Para Entrada no País

 

Passaporte Válido:

Não se esqueça de dar aquela conferida básica na data de validade do seu passaporte, que sempre deve ter validade mínima de 6 meses à partir da sua data de volta.

 

Vacina contra Febre Amarela:

Para entrada em Barbados é necessário apresentar o Certificado Internacional de Vacinação que comprove que você tomou a vacina contra Febre Amarela com pelo menos 10 dias de antecedência ao seu embarque, pois esse é o período que a vacina demora para ter eficácia de fato no organismo.

No site da Anvisa você encontra um espaço para viajantes tirarem dúvidas , além de encontrar também os locais e horários onde se pode tomar a vacina e emitir o certificado internacional.

E não se esqueça de guardar com cuidado esse certificado, pois essa vacina tem validade de 10 anos e poderá ser útil em uma próxima viagem!

 

Comprovantes para Imigração:

Quando chegamos estávamos com todos os documentos em mãos para apresentarmos à imigração, como comprovantes de aluguel de carro e de hospedagem. Mas imprimimos somente a página do site em que alugamos a casa, página essa que não constavam os dados da dona do imóvel, o que gerou alguns questionamentos na hora de entrarmos no país e deu aquele medinho de sermos barrados ali, nos 45 do segundo tempo.

Sendo assim, recomendo que assim como fazemos em todos os países em que temos mais “medo” de sermos barrados na imigração”, já levem todos os comprovantes de hospedagem, aluguel de carro, programação, passagem de volta, etc já impressos. Melhor prevenir, né?

 

Comidas & Bebidas:

Quando comemos em lugares típicos, frequentados pelos locais, alguns dos pratos que pedimos vieram com bastante pimenta, então acho que antes de pedir seu prato vale perguntar se ele é muito apimentado, caso você não seja muito fã de fortes emoções aí no seu paladar.

Aproveite para experimentar o Flying Fish (peixe voador), que é servido com acompanhamentos como batata doce na grelha e maccaroni pie (que é uma torta de macarrão feita no forno). Tudo delícia, vem na minha que é sucesso!

Agora com relação às biritas locais, a bebida tradicional por lá é o Rum e apesar de você encontrar diversas variações de drinks feitos com ele, o drink típico mesmo de Barbados é o Rum Punch, uma mistura de Rum e suco de várias frutas. Só tenho a dizer que não tenho adjetivos pra essa bebida, muito amor por ela!

barbados_21062016_2206

Hospedagem:

Como para qualquer outro destino que se vá visitar, acredito que o primeiro ponto a ser levado em consideração na hora de escolher onde se hospedar é o tipo de turista que você é e que programações deseja fazer.

Qualquer que seja a sua opção de hospedagem, mas principalmente se decidir se hospedar em uma casa, como nós fizemos, peça informações BEM específicas sobre como encontrar o imóvel. Nós alugamos uma casa pelo Airbnb e mesmo a dona do imóvel nos explicando bem certinho como chegar nós tivemos alguma dificuldade para encontrá-lo, uma vez que a numeração das casas lá é bem complexa para nós (e em alguns casos nem existe), fora o fato de que em algumas regiões existem imóveis ficam na parte da frente do “terreno” e outras mais para o fundo… Enfim, é uma organização de espaço totalmente diferente da que estamos acostumados aqui, com uma casa do ladinho da outra, com números em ordem crescente, um lado par e outro ímpar, etc e tal.

Então peça um direcionamento bem específico e se puder, leve um chip internacional para poder entrar em contato com o local onde vai se hospedar ou com a pessoa com a qual você está alugando a casa.

Isso é para o caso de você decidir alugar um carro como nós fizemos, mas você também tem a opção de pegar um táxi ou, caso esteja hospedado em algum resort ou hotel, verificar se eles tem a opção de transfer aeroporto – hotel.

barbados_22062016_2681

Locomoção:

As opções disponíveis para locomoção eram o transporte público, táxi ou alugar um carro.

Como estávamos em 4 pessoas escolhemos a segunda opção, e foi a melhor coisa que fizemos pois isso nos deu a liberdade de ir e voltar de onde quiséssemos a qualquer momento.

Mas para quem também pensa em alugar um carro por lá, não se esqueça de que terá que dirigir pela mão inglesa, com tudo do lado oposto ao que estamos acostumados. No início é bem estranho, mas rapidinho você se acostuma, fora o fato de que os motoristas por lá são super educados e dificilmente você vai ser xingado enquanto estiver dirigindo devagar, tentando se acostumar com essa diferença de direção.

Outra dica para quem quer alugar carro é alugar pela internet, antes de chegar em Barbados. Se deixar para alugar no hotel, provavelmente você pagará mais caro por isso, como acontece com qualquer programação que seja reservada diretamente no seu local de hospedagem. Nós reservamos o aluguel do carro pela Drive-A-Matic Car Rentals, que fica no próprio aeroporto, e para 1 semana de carro do modelo mais econômico o valor total foi de aproximadamente 350 dólares americanos.

À princípio pensamos em pegar um modelo de carro aberto, uma espécie de mini jipe, mas ficamos agradecidos por pegar um modelo fechado nos dias em que pegamos chuva, pois as chuvas foram rápidas, mas fortes e com vento. Cuidado também com os modelos de carros muito pequenos, que tem porta malas menores ainda – nossas malas quase não couberam no carro que alugamos, tivemos que fazer um tétris louco lá para encaixar todas as malas e mais nossos corpos dentro do nosso mini veiculo!

Dica valiosa para quem assim como eu detesta se perder e é totalmente desprovido de senso de direção e de memória: alugue um carro com GPS ou baixe no seu celular um mapa que você possa usar off line. No nosso caso nós tínhamos o GPS mas acabamos usando mais os mapas dos celulares mesmo.

Sobre as regras de trânsito locais, geralmente as sinalizações de trânsito estão pintadas no chão, então fique atento e se ver um “stop“, pare mesmo que não tenha nenhum farol. Outra coisa com a qual não estamos acostumados por aqui: se uma pessoa colocar o pé na rua, pare para ela atravessar. Como é um costume local, os pedestres nem olham para ver se o carro vai parar ou não, uma vez que para eles é óbvio que todos os carros estão cheios de pessoas educadas e queridas que irão lhes dar passagem. =)

Dica extra: Não se esqueça de alugar o carro e colocar o valor do seguro nesse aluguel. Nós alugamos pela internet e na hora de fechar pessoalmente na locadora entendemos que estavam nos oferecendo um seguro extra, já que tínhamos optado pelo seguro “normal” quando fizemos a reserva pelo site. Mas não, aquele era o único seguro que teríamos e nós abrimos mão dele. O que aconteceu? Encostamos a traseira do carro em um poste e demos uma amassadinha no carro. Foi pouca coisa, o valor do conserto foi bem baixinho, mas poderia não ter sido. Ou seja: tenha certeza absoluta de que você tem algum seguro, com alguma cobertura para o caso de algo acontecer. Pergunte até você não ter dúvidas do que está levando.

barbados_22062016_2647

Vida Noturna:

Nós que somos de São Paulo somos muito mal acostumados com horários quando o assunto é vida noturna.

Para nós horário de chegar no barzinho é às 21:00 hs e a balada começa às 00:00hs. Aí quando vamos para outros lugares e vemos um bar já com clima de “estou fechando” em pleno auge da sua alegria de viver (entenda isso como 22/23hs) é meio estranho. Mas nada que uma adaptação de horário biológico e mental não resolva.

Ou seja: se for para um barzinho em Barbados, chegue “cedo”, por volta das 19hs para aproveitar o rolê.

Com relação à opções de bares e baladas, encontramos mais opções “turísticas” do que as opções locais que tanto queríamos. Mas fica aí mais um tópico para ser preenchido em uma próxima viagem à Barbados! =)

 

Moeda / Compras:

A moeda local são os dólares barbadianos, mas em toda a ilha o dólar americano é aceito sem nenhum problema (eles valem o dobro dos dólares barbadianos).

E em algumas lojas, apresentando seu passaporte você tem isenção de impostos nas suas compras. Não cheguei a fazer compras que utilizassem esse benefício, mas pelo que li você retira o produto no aeroporto antes de embarcar para o Brasil. Se quiser utilizar esse benefício, vale dar uma perguntada na loja em questão sobre como isso funciona.

barbados_23062016_2991

Como Chegar:

Nós fomos com um voo direto feito semanalmente pela Gol e em 5:30h estávamos desembarcando em Bridgetown, capital da ilha, mas esse voo só funcionará até agosto desse ano e após isso será necessário fazer escala para chegar à Barbados.

Tenha atenção ao fechar um voo com escala: existe a opção de ir com a American Airlines passando por Miami – e nesse caso você tem que ter o visto americano ou, caso não tenha o visto americano, a opção é ir com um dos dois voos semanais que a Avianca está operando aqui no Brasil com destino à Barbados.

barbados_18062016_0376

Clima:

Com relação ao tempo, a ilha tem clima tropical com uma temperatura média de 26°. Enquanto estivemos por lá, durante a manhã e no final da tarde choveu um pouco, mas nada que estragasse nossa estada por lá, já que assim que passa a chuva o tempo já fica aberto de novo. Outra coisa: chover um dia não significa que no dia seguinte você não terá uma temperatura ótima e um céu aberto, então não se deixe abater se chegar lá e seu primeiro dia em Barbados começar chuvoso como o nosso começou ! =)

Mas se quiser evitar as épocas de chuvas, o mês de fevereiro é o mais seco (e o de novembro o mais chuvoso).

Mais um detalhe: apesar do país estar fora da rota de furacões, agora no mês de junho quando estivemos por lá haviam avisos pela cidade e nas rádios para que as pessoas ficassem atentas à essa época, pois estávamos na época de furacões.

 

Dicas Extras:

Dica extra preciosa para quem passa mal em passeios de barco: esqueci de levar remédio para enjoo e eu passo BEM mal mesmo no mar. Aí o pessoal do mergulho me indicou tomar o remédio Gravol para evitar o enjoo e aquela sensação de ficar “mareada”.

Fica então aí a dica pros enjoados e esquecidos como eu! =)

 

E você também pode ter mais dicas baixando no seu celular o aplicativo Guia Oficial de Viagens de Barbados, que está disponível para IOS e também para Android.

barbados_22062016_2406

DCIM100GOPRO

barbados_20062016_1692

barbados_20062016_1682

barbados_22062016_2705

barbados_23062016_2916

barbados_23062016_2906

barbados_21062016_2303

Todas as fotos lindas desse post são do Ricardo Jayme .

 

Essa viagem contou com o apoio da GVA – Global Vision Access, Visite Barbados e de alguns serviços no destino. As opiniões e comentários descritos aqui são independentes e baseados na experiência que tivemos. 

Autor

Juliana Rosa é apaixonada por viagens, esportes, arte, música e criatividade em geral e conta aqui no blog um pouco das suas andanças.

Deixe uma resposta